Varejo + IoT: Equilibrando a luta com o e-commerce

Com o surgimento da internet, os sites de e-commerce nasceram, cresceram e se tornaram os “inimigos” do varejo físico. O cenário pintado era que, oferecendo muita praticidade e com mecanismos de marketing mais direcionados, os hábitos de consumo mudariam e o e-commerce iria (quase) acabar com o varejo físico.

Ainda que este cenário catastrofista não tenha se confirmado, é fato que os consumidores hoje tendem a realizar certos tipos de compra por meios eletrônicos e outros em lojas físicas. Além disso, o volume e detalhamento de dados que o e-commerce possui se tornaram uma vantagem competitiva gigante, pois entender o que o cliente deseja é a chave do sucesso neste segmento.

Se o volume e riqueza de dados são uma vantagem do e-commerce, como o varejo pode se equiparar?

Internet das coisas!

Vejamos alguns casos:

Caminhos: Se nos sites é possível rastrear todas as buscas e os caminhos navegados, câmeras com a capacidade de contar, medir e rastrear trajetos em áreas específicas, como corredores de supermercados, fornecem dados valiosos sobre o padrão de movimentação das pessoas, podendo identificar quais os pontos em que há maior ou menor interesse, onde as pessoas procuram algo por longo tempo, onde passam rápido demais, onde esperam demais por algum atendimento ou por onde nem passam.

Sensores: O que você diria se soubesse que das vinte geladeiras que estão em uma loja, uma foi aberta cerca de 90% menos do que aquela que foi aberta mais vezes? As respostas podem ser meio bobas ou óbvias, mas a questão que importa aqui é: você sabe disso? Você sabe que uma geladeira específica quase nunca é aberta? Um simples sensor conectado obtém esta informação e permite disparar ações automatizadas para o entendimento do problema e ação corretiva.

Momento da oferta: O melhor momento para fazer alguma oferta ao cliente é quando ele entra na loja. Mas os sistemas só nos dizem quando o cliente deixou a loja, pois acabou de passar no caixa. Neste momento, não adianta mais ofertar nada. Por isso, é possível oferecer conexão wi-fi descomplicada e prática para os clientes, tornando seus próprios dispositivos “sensores de presença”, permitindo a coleta de perfil e direcionamento de ofertas.

Análise do sortimento de produtos: E em alguns casos, o varejo tem vantagens versus o e-commerce: No segmento de vestuário, como magazines de roupas, calçados e acessórios, ao utilizar etiquetas com RFID nas peças, é possível entender quais as combinações são testadas pelos clientes nos provadores, quais as peças, cores, tamanhos são combinados, direcionando assim toda a cadeia de concepção, produção, compra e exposição do estoque.

Pode parecer muito utópico, avançado demais, caro demais, mas toda esta tecnologia está disponível e em constante evolução pelo engajamento das comunidades de desenvolvedores. Novos tipos de sensores, câmeras, dispositivos estão sendo criados. A mão de obra especializada está no início da curva de aprendizado, mas já há boa oferta no mercado. O custo de infraestrutura está se tornando cada vez mais acessível com os provedores de cloud services.

O que fazer agora? Começar!!

Identifique qual dado sua empresa hoje não possui, mas seria uma boa origem de informação. Não se limite aos dados de sistemas, lembre-se que com IoT qualquer coisa pode gerar dados e estes dados podem ser informações valiosas. São diversos tipos de sensores, câmeras, beacons, aparelhos que podem ser utilizados.

Então faça um pequena implementação. Tendo como objetivo a geração do mínimo produto viável, um projeto piloto que irá mostrar com pouco investimento o valor desta tecnologia e irá gerar já um resultado.

Na SM22, descobrimos soluções que focam nas necessidades do varejo, buscando levar inovação tecnológica e expertise técnica aos players deste mercado. Nossa equipe desenvolve soluções que integram dispositivos e gestão dos dados e está preparada para desenhar e implementar a estratégia mais adequada para cada necessidade de negócio das empresas.

Solução de IOT e Advanced Analytics com a Advantech e Softline

A parceria entre a Advantech Brasil, Softline e SM22 Tech apresenta sua primeira solução focada em Indústria 4.0.

Na Expomafe, feira de máquinas, ferramentas e automação industrial, que acontece entre 7 a 11 de maio, no stand de Manufatura Avançada está em exibição uma solução de baixo custo para monitoramento de equipamentos.

Operação da Solução de IoT e Advanced Analytics

A solução agrega dados do CNC com sensores de vibração, temperatura e monitoramento de energia de um equipamento ROMI concentrando as informações em um computador industrial da Advantech. Os dados são pré-processados em nível Edge, e enviados ao Cloud, na Microsoft Azure, para apresentação de Dashboard e utilizando recursos de Analytics para possibilitar o monitoramento preditivo do equipamento.

Entenda os motivadores e os 4 pilares da Transformação Digital

A definição de Transformação Digital na Wikipédia é:

… a transformação dos negócios, reformulando a estratégia de negócios ou estratégia digital, modelos, operações, produtos…, adotando tecnologias digitais. Isso acelera as vendas e o crescimento do negócio de ponta a ponta.

Entendeu? Se acelera a venda e aumenta o crescimento, eu quero isso para a minha empresa, mas tenho que entender o que realmente é…

Esse artigo vem para tentar facilitar o seu entendimento sobre essa transformação tanto falada e, ao final dele, você saberá pelo menos por onde começar a sua jornada.

Vamos lá… O caso da Blockbuster é bem conhecido. Ela foi a maior rede de videolocadoras, onde o usuário pagava por título alugado, mas se atrasasse a entrega era cobrada uma multa. Ok, é justo pagar por não cumprir um prazo, mas era uma boa estratégia?

Nesse momento entra na história uma outra empresa que, há 20 anos atrás já iniciava o seu negócio pensando na experiência e comodidade dos seus usuários: Netflix. A Netflix começou no segmento de locação de filmes, mas com um propósito diferente: Os clientes poderiam escolher o título pela internet, recebê-lo pelo correio, assisti-lo e depois devolvê-lo novamente pelo correio. Depois de um tempo a Netflix inovou novamente, alterando a sua forma de cobrança: por quê não cobrar um valor mensal e dar a possibilidade aos meus clientes de assistir quantos filmes conseguisse? E mais, sem nenhuma outra taxa cobrada!

Em 2000 a própria Netflix se ofereceu para ser comprada pela Blockbuster por “míseros” 50 milhões de dólares. A Blockbuster entendia que o mercado online era somente um nicho e não aceitou o negócio! Essa falta de visão fez com que, em 2010, a maior rede de videolocadoras pedisse falência. Hoje a Netflix é uma plataforma de streaming com mais de 100 milhões de usuários, inclusive com produções próprias de grande sucesso!

Você já deve ter ouvido essa história, no entanto esse caso é emblemático e demonstra o que é uma Transformação Digital! Ou seja, Transformação Digital é uma mudança de mindset e de modelo de negócios, onde o principal foco é o cliente. Observe que as duas empresas citadas estavam no mesmo ramo, locação de filmes, e eram concorrentes diretas. Uma delas teve a ousadia de inovar e dar aos seus clientes a possibilidade de solicitar e devolver o seu filme sem sair de casa e depois criar uma plataforma onde seus clientes podem “maratonar” séries e filmes diretamente pela sua televisão.

Isso é Transformação Digital: Olhar para o seu negócio e inovar, utilizando todas as informações disponíveis e focando na melhoria da experiência que o seu cliente tem com seus produtos/marca

Quais os motivadores para que sua empresa inicie a Transformação Digital?

Acima, vimos o que é Transformação Digital. Agora vem a pergunta: preciso realmente dessa transformação?

Minha resposta é: Sim, sem dúvida nenhuma!

O primeiro motivador é o fato de que, sem se transformar, você ficará para trás… assim como a Blockbuster ficou.

Além disso, tenho mais 4 indicadores de mercado para lhe apresentar:

  • 55% dos consumidores evoluíram com relação às suas preferências e necessidades
  • Oportunidades cresceram 53% em novos negócios
  • O aumento da pressão da concorrência cresceu 49%
  • 42% foi o crescimento de Novas regulamentações e regras de compliance

Ainda não te convenci com relação à necessidade de realizar a transformação digital? Tudo bem… observe então aos indicadores que as empresas que estão se transformando alcançaram:

Indicadores de Transformação Digital

#Por quê esses indicadores são importantes?

Porque eles fazem referência aos pilares da Transformação Digital e são a base de todas as mudanças que serão necessárias para você gerir a sua empresa. Entenda o porque:

Experiência do cliente: Esse tema vem se mostrando como o principal deles. O fácil acesso às informações sobre produtos e preços através da internet vem sendo utilizado pelos clientes como uma forma de barganha. Hoje em dia a fidelização por uma marca está cada vez mais difícil e se o seu cliente não se sentir prestigiado ou satisfeito, ele buscará outras alternativas. Diante disso, podemos observar que as formas de divulgar produtos ou serviços e atrair e engajar consumidores vem evoluindo diariamente na busca pelo melhor atendimento.

Eficiência Operacional: A evolução dos processos também ganham papel importante na Transformação Digital. Para que você consiga entregar uma melhor experiência ao seu cliente, você precisa estar com a “casa” arrumada, focando principalmente nos processos mais morosos e pouco automatizados e também na capacitação dos seus colaboradores.

Modelo de Negócio: Aqui não estamos falando somente na forma como o seu produto é produzido ou entregue. Aqui temos que ter em mente o que fazer para se diferenciar no seu setor e, novamente, trazer uma melhor experiência aos seus clientes. Repense suas oportunidades e crie novos produtos baseados nas informações que você possui. Aqui, podemos citar como exemplo o Airbnb que, por si só, já é uma empresa disruptiva. No entanto ela inovou novamente ao lançar o seu produto de Experiências. Imagine só: O Airbnb sabia onde seus clientes estarão, afinal eles reservam acomodações pela sua plataforma. Diante disso, porque não sugerir atrações, passeio e restaurantes nesses lugares? Pensando dessa forma, surgiu o Airbnb Experiences!

Informação e Tecnologia: Os pilares acima citados só serão possíveis se forem suportados por dados e pelas novas tecnologias disponíveis. O Big Data, processamento em nuvem, Análises Preditivas, Análises Cognitivas e Inteligência Artificial são alguns dos agentes que permitirão a sua Transformação Digital.

Veja abaixo a entrevista para a Exame de Flavio Prippas, Diretor do cubo, referente ao assunto:

Para finalizar, gostaria de colocar um indicador alarmante

Dois terços dos 500 executivos, da Europa e EUA, entrevistados acreditam que 40% das empresas listadas na Fortune 500 não existirão em 10 anos, segundo pesquisa de 2017 realizada pela ChristianSteven Software e conduzida pela GITNS Isso se deve ao cenário transformador e inovador que estamos vivendo e, quem não entrar nessa jornada a tempo, ficará para trás.

Nós, da SM22, desenvolvemos uma metodologia para apoiar sua empresa no processo de transformação digital:

GoDigital

Caso queria saber um pouco mais, entre em contato.